Em assembleia virtual realizada nesta quarta-feira, 22 de julho, a ADunicamp elegeu o delegado e dois observadores que vão representar a entidade no 8° Conad Extraordinário do ANDES-SN, que será realizado também de forma virtual nos próximos dias 30 e 31.

O professor e diretor da ADunicamp Paulo César Centoducatte (IC) foi eleito para participar como delegado e os professores José Vitório Zago (IMECC) e Edson Joaquim dos Santos (Cotuca), também diretor, como observadores.

O encontro extraordinário do Conad foi convocado para deliberar sobre a proposta de prorrogação do mandato da atual diretoria do ANDES-SN, uma vez que as eleições presenciais estão impossibilitadas no atual momento da pandemia. E o estatuto da entidade não prevê a realização de votação remota.

As eleições deveriam ter sido realizadas em maio, mas com o isolamento social imposto pela pandemia todos os eventos presenciais do sindicato foram suspensos. E, em comum acordo com as duas chapas que estavam inscritas para concorrer, a Comissão Eleitoral Central decidiu suspender a votação por tempo indeterminado.

Com a realização do Conad, a diretoria procura legitimar juridicamente a prorrogação do mandato.

A proposta apresentada pela diretoria é a de prorrogar o atual mandato por 90 dias, com a possibilidade de nova prorrogação pelo mesmo período, caso a pandemia continue a exigir forte isolamento social.

INFORMES

No início da assembleia virtual, a professora Sílvia Gatti (IB), presidente em exercício da ADunicamp, fez um breve relato sobre o relatório final do Grupo de Trabalho da ADunicamp sobre as condições de trabalho docente na Unicamp durante a pandemia.

O relatório, intitulado “Condições de Trabalho Remoto Docente na Unicamp no Contexto da Pandemia de Covid-19”, ouviu 400 docentes das diversas Unidades da Unicamp e está disponível no site da ADunicamp.

 A professora afirmou que o relatório deve ser lido e analisado em profundidade por docentes de todas as unidades da Universidade, “diante da possibilidade clara de que as aulas continuarão em sistema remoto no segundo semestre”.

O professor Centoducatte informou, em seguida, sobre ações em curso do Departamento Jurídico da ADunicamp questionando a aplicação das novas bases da Previdência, como a cobrança extra para os pensionistas e aumento do desconto das alíquotas.

O professor informou também que a ADunicamp protocolou ação coletiva questionando aspectos da Lei Complementar n°173, promulgada em maio pelo Governo Federal com normas para o enfrentamento da pandemia. A ação coletiva, semelhante a outras que estão em curso e já receberam pareceres judiciais favoráveis, questiona a suspensão das progressões e contratações durante o período de vigência da Lei, que vigora até o final de 2021.