[box type=”info”]Divulgado por solicitação do Prof. Samuel Rocha (DMA – IMECC), na condição de sindicalizado. O conteúdo do texto não reflete necessariamente a posição oficial da ADunicamp, nem de qualquer outra instância da entidade (Assembleia Geral, Conselho de Representantes e Diretoria). Toda e qualquer responsabilidade por afirmações e juízos emitidos cabe unicamente ao autor do texto.[/box]

O resultado da eleição para a diretoria da ADunicamp foi o seguinte:

De 2.231 associados aptos a votar, 1.093 depositaram seus votos em suas unidades ou na sede da ADunicamp, que significa um recorde de participação nas eleições, 49%. Dentre os votantes, 2% não fez opção pelas chapas disputantes. A Chapa 1 venceu o pleito com 56% dos votos válidos. A tabela abaixo resumo os dados.

Colégio Eleitoral Votantes Brancos e nulos Chapa 1 Chapa 2
2231 1093 25 603 465
49% 2% 56% 44%

 

Apesar do sucesso relativo de comparecimento para votação, a chapa vencedora obteve nas urnas 27% do colégio eleitoral. Comparado ao total de docentes da Unicamp ativos ou aposentados que passa de 3.500, é importante ressaltar que apenas 17% destes explicitaram seu voto na Chapa 1 e 14% na Chapa 2.

Essa simples análise quantitativa serve para refletir o caráter representativo que a ADunicamp enseja em sua constituição sindical e associativa. A votação não é obrigatória e os docentes têm todo o direito de não votarem, mas todos os associados pagam devidamente as suas mensalidades e merecem também a constante preocupação em defesa dos interesses destes também, apresentando de forma transparente como os recursos recolhidos de todos estão e serão utilizados.

Durante a campanha de duas semanas alguns episódios não podem ser considerados normais em nosso meio. A pluralidade apregoada e bem-vinda não combina com a não aceitação taxativa de ideias diferentes ao rotular adversários políticos como fascistas ou constranger simpatizantes ao ponto de não poderem se expressar publicamente, com receios de patrulhamentos ideológicos e bullying.

Vale apresentar a distribuição dos votos pelas unidades, na forma do gráfico acima. Ao longo da horizontal as unidades estão distribuídas pela proporção de votos à chapa 1 e à chapa 2 – mais à esquerda (direita) votaram mais na chapa 1 (2). Ao longo da vertical a distribuição é feita pela proporção de comparecimento para votação. As unidades mais para cima tiveram maior votação proporcional na sua unidade. Os tamanhos das bolas são proporcionais à quantidade absoluta de votos de cada unidade. A bola preta seria o centro geométrico desta distribuição e seu tamanho relacionado à quantidade média (40) de votantes nas unidades. A Sede e a FCM têm os maiores círculos com 186 e 98 votantes, respectivamente, enquanto a FOP e a FT tiveram 3 e 7.

Esta distribuição chama a atenção pelo distanciamento entre as unidades das humanas e das tecnológicas e um pouco também pelos diferentes graus de engajamento na votação das unidades. Um entendimen30to maior dessas diferenças na escolha de uma direção da Associação de docentes é preciso para diminuirmos as acusações mútuas e aumentarmos representatividade e a compreensão da diversidade no campus.

Todos os docentes, associados e não associados, ativos e aposentados, podem contar com a nossa disposição de tornar a ADunicamp uma entidade forte de representação dos docentes.