O CR (Conselho de Representantes) da ADunicamp, reunido de forma não presencial nesta quinta-feira, 26, decidiu adiar as eleições para a Diretoria e para o CR, previstas para ocorrer em maio, e decidiu também direcionar até R$ 800 mil da verba de contingência prevista no Orçamento/2020 da entidade para ações emergenciais de solidariedade no contexto de pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Com o adiamento das eleições, ficam prorrogados os mandatos da atual diretoria e dos conselheiros, eleitos em maio de 2018, e a nova data das eleições será definida após o fim da quarentena e com base nos desdobramentos da pandemia. O adiamento foi aprovado por unanimidade dos 27 conselheiros que participaram da reunião.

A proposta de destinação dos R$ 800 mil para ações de solidariedade ao combate à Covid-19 também foi aprovada por unanimidade. O presidente da ADunicamp, professor Wagner Romão (IFCH), autor da proposta, apresentou um balanço dos recursos da entidade disponíveis em aplicações financeiras e também daqueles que já haviam sido destinados à verba de contingência da entidade.

A proposta é que a verba seja destinada a ações de apoio à área de saúde ligada à Unicamp, como o Hospital das Clínicas, na compra de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) de kits de testagem para o Covid-19, entre outras. Professoras da Faculdade de Ciências Médicas, conselheiras do CR que participaram da reunião, falaram sobre o quadro de grandes dificuldades que o HC já atravessa enquanto se prepara para enfrentar a pandemia.

Por sugestão de integrantes do CR, ficou definido que parte dos recursos também poderão ser destinadas a comunidades carentes com grande risco de serem fortemente vitimadas pela Covid-19.

Foi eleita uma comissão, composta por cinco conselheiros/as, para estudar junto aos setores médicos da Unicamp e entidades da sociedade civil organizada para quais ações de urgência os recursos poderão ser destinados.
As decisões finais das destinações, que ocorrerão paulatinamente, serão tomadas pela comissão e pela diretoria da ADunicamp.
A comissão é integrada pelos/as docentes: André Pasti (Cotuca), Carmen Bertuzzo (FCM), César Pagan (FEEC), Josely Rimoli (FCA) e Silvia Santiago (FCM).

ELEIÇÕES ADIADAS
“O que temos é uma situação de absoluta dificuldade para mantermos um processo eleitoral”, afirmou o presidente da ADunicamp. Ele apontou que as dificuldades não ocorrerão só no ato das eleições em si, mas também no processo de formação e homologação das chapas, durante a campanha eleitoral e na execução de assembleia, prevista no estatuto da ADunicamp, para eleger o Conselho Eleitoral.

Embora o adiamento de eleições não esteja previsto no Estatuto da entidade, a diretoria apresentou um estudo feito pela Assessoria Jurídica da ADunicamp, mostrando que ele é juridicamente possível, desde que aprovado pelo CR.

Tradicionalmente, as eleições da ADunicamp são realizadas na mesma data das eleições do Andes-SN, que também estão adiadas por tempo ainda indefinido. Os conselheiros decidiram que, diante do atual quadro da pandemia, as eleições deverão ser “preferencialmente” realizadas em conjunto, mas não necessariamente. As eleições da ADunicamp dependem de condições locais e as do Andes-SN da evolução das condições nacionais.

A ÍNTEGRA DA DECISÃO
Leia, abaixo, a íntegra da decisão do CR sobre o adiamento das eleições:

“Com base no artigo 23, item 6 do estatuto social, o Conselho de Representantes da ADunicamp delibera pela suspensão imediata do processo eleitoral e determina a prorrogação dos mandatos vigentes do próprio Conselho e da Diretoria da entidade, até que novo calendário eleitoral seja estabelecido.

O novo calendário eleitoral deverá obedecer aos demais prazos e requisitos constantes do estatuto da entidade, com a publicação do edital de convocação das eleições sendo publicado dentro do prazo de cinco dias úteis após a retomada das atividades presenciais na Universidade Estadual de Campinas. Preferencialmente, o novo calendário buscará contemplar a simultaneidade com o calendário eleitoral do Andes-SN”.