cartaz20092016_finalMovimento discute Ciência e Tecnologia Pública a partir da arquitetura
Qual a relação entre C&T (ciência e tecnologia) pública e arquitetura? Qual a importância da arquitetura pública no planejamento das cidades? Os espaços públicos são essenciais para a vida nas cidades e a discussão sobre o modelo de cidade que a sociedade quer passa por questões como especulação imobiliária, crescimento vertical desenfreado e participação pública. Esse debate envolve ainda um aspecto fundamental que tem a ver com o desenvolvimento e utilização de tecnologias nacionais. Reflexões como essas dão o tom para o evento que vai ser realizado no próximo dia 20, que tem como tema “Ciência e Tecnologia Pública: Desmonte do Estado e o futuro das cidades”.
Promovido pelo Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública, em parceria com o SASP (Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo), o evento terá a participação dos palestrantes Pedro Fiori Arantes, Alexandre Delijaicov e Ciro Teixeira Correia, além da jornalista Nina Fideles, editora assistente da revista Caros Amigos, como mediadora do debate. Pedro Fiori Arantes e Alexandre Delijaicov são arquitetos e urbanistas. Arantes é docente da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e Delijaicov é docente na USP (Universidade de São Paulo). Ciro Teixeira Correia é da Adusp (Associação dos Docentes da USP) e representante do Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública.
As entidades envolvidas na organização do debate são: ADunicamp (Associação dos Docentes da Unicamp), APqC (Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo), SINPAF – seção sindical Campinas e Jaguariúna (Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário) e GAPI; e com apoio do ANDES – regional SP (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), Adusp, ADunesp (Associação dos Docentes da Unesp), STU (Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp), Sintunesp (Sindicato dos Trabalhadores da Unesp) e Netes (Núcleo Educacional de Tecnologia Social e Economia Solidária, da Unifesp), além do SASP e Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas.
No evento também será feito o lançamento da plataforma ZONA, um projeto do SASP que tem o objetivo de discutir temas urbanos contemporâneos.
O evento é gratuito e terá transmissão ao vivo, feita pelo Coletivo Socializando Saberes. Esse é o terceiro evento realizado pelo Movimento e essa série de iniciativas tem como finalidade discutir os impactos do Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei Nº 13.243/2016) sob os mais diferentes aspectos. Essa legislação representa riscos diretos à educação e à pesquisa públicas e afeta, indiretamente, a toda sociedade ao privilegiar a ciência e a tecnologia voltadas aos interesses privados. “Ciência e Tecnologia Pública: caminho para uma sociedade igualitária” foi realizado em junho passado e “Ciência e Tecnologia Pública: retrocessos impostos pelo Marco (i)Legal da CT&I”, em agosto.
A iniciativa de lutar em defesa de uma C&T pública surgiu a partir da mobilização de entidades que se posicionaram contrárias ao PLC 77/2015, que tratava do Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Considerado um grave retrocesso, por representar um ataque a direitos sociais diante da implantação de “agendas privatizantes do ensino superior e da pesquisa pública brasileira”, como consta na Carta de Campinas, documento elaborado em novembro de 2015, o PLC 77/2015, após passar pela Câmara e pelo Senado, foi sancionado e transformado na Lei Nº 13.243, em janeiro deste ano. Além da Carta de Campinas, o grupo elaborou uma carta enviada à Presidência da República, em dezembro do ano passado, para solicitar o veto integral ao citado Projeto de Lei, e, após a sanção, a mobilização criou formalmente o Movimento pela Ciência e Tecnologia por meio do lançamento do Manifesto do movimento, em março deste ano.
Serviço: Ciência e Tecnologia Pública: Desmonte do Estado e o futuro das cidades
20 de setembro de 2016 – Sede do SASP – Rua Araújo, 216, República – São Paulo
18h30 – recepção – Lançamento da revista ZONA
19 horas – debate
Transmissão ao vivo – www.socializandosaberes.net.br
Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública – www.ctpublica.wordpress.com
Facebook – https://www.facebook.com/CTpublica/
Twitter – https://twitter.com/CtPublica
 
Revista ZONA
ZONA é uma plataforma colaborativa sobre temas urbanos contemporâneos. Zona é uma palavra aberta, que permite múltiplos conceitos. A cidade caótica e fragmentada no Brasil atual virou, literalmente, uma zona total. Desigualdade e violência produziram zonas de conflito, cuja reação do Estado foi produzir zonas de segurança e pacificação para controlar populações empobrecidas. Zonas de exclusão e conforto nos bairros estritamente das elites querem os pobres “fora da nossa zona”.
Atendimento Imprensa
Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública – Véronique Hourcade (hbvero@hotmail.com)
SASP – Rôney Rodrigues (roneycristianrodrigues@gmail.com)