Com a participação de mais de 40 palestrantes vindos de diversas universidades brasileiras e do exterior, além de representantes de organizações científicas e sociais, a 14ª edição do Abralin (Associação Brasileira de Linguística) em Cena dissecou, durante três dias no auditório da ADunicamp, o tema “Fake News e Linguagem”.

Também foram apresentados por docentes e alunos/as de doutorado das universidades dezenas de trabalhos, além de lançamentos de livros e cartilhas o tema. Um grupo musical, integrado por docentes da Unicamp, apresentou também o show musical “Fake News no Samba”.

O final do evento, os participantes aprovaram um documento, proposto por docentes, intitulado “Moção de repúdio aos ataques feitos à Universidade Pública pelo ministro da Educação” (leia a integra abaixo).

Esta foi a 14° edição do Abralin em Cena e a programação completa do evento pode ser vista aqui. O evento foi transmitido ao vivo e os vídeos de todas as apresentações estão disponíveis na internet (confira nos players ao lado).

Participaram do evento docentes de diversas unidades da Unicamp (CLE, IEL, IFCH, FE,IC, IB, FEF, FCA, Cotuca), de outras universidades brasileiras (Unisinos, UFU, Ufes, UFRJ, USP, PUC-MG, UFPB, Unesp-Presidente Prudente e UFJF) e da universidade portuguesa de Aveiro. E também integrantes de organizações sociais, entre elas Instituto Palavra Aberta, ZeitGest, Intervozes e Brasil 247, além de representantes da Unesco e da Global Alliance for Partnerships on Media and Information Literacy.

PORQUE FAKE NEWS

Fake News foi escolhido como tema para a edição deste ano do evento por tratar-se de um termo que tem atravessado as mais diversas esferas da sociedade.

“Esperamos que esse evento, pensado a partir do campo de estudos da linguagem, mas no diálogo com outros campos, possa contribuir para o cumprimento, da melhor maneira possível, de uma das principais funções sociais da Universidade pública e gratuita brasileira: a de promoção do esclarecimento da população com base em uma diversidade de estudos e opiniões construídos por agentes responsáveis, norteados por conhecimentos e valores democráticos e socialmente referenciados”, afirmam no material de apresentação do evento as professoras Cláudia Wanderley, do CLE/Unicamp, e Anna Christina Bentes, do IEL/Unicamp, coordenadoras da 14ª edição do Abralin em Cena.

Moção de repúdio aos ataques feitos à Universidade Pública pelo ministro da Educação

Diante dos mais recentes ataques perpetrados pelo sr. Abraham Weintraub, ministro da Educação do Governo Bolsonaro, professores, pesquisadores e estudantes presentes a um evento científico intitulado “ABRALIN em Cena: Fake News e linguagem”, promovido pela Associação Brasileira de Linguística e realizado na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), vêm a público juntar-se às vozes democráticas brasileiras no sentido de repudiar veemente as declarações feitas em vídeo. Infames, mentirosas e irresponsáveis, as declarações segundo as quais a comunidade acadêmica são ‘madraças de doutrinação’ e que algumas universidades federais têm ‘plantações extensivas de maconha’ procuram não apenas ameaçar a autonomia universitária, agredir e achincalhar a educação e a ciência brasileiras, mas torná-las refém de um projeto pedagógico neoliberal antidemocrático, privatista e antinacional.

As Universidades brasileiras, fundamentais para a soberania nacional e reputadas internacionalmente, têm enfrentado sérias dificuldades em função do subfinanciamento e dos efeitos da Emenda Constitucional 95/2016, que congelou gastos públicos por 20 anos em áreas essenciais como Ciência, Saúde e Educação. Com o Governo Bolsonaro e seu desprezo pelo Conhecimento e pela Democracia, as Universidades Brasileiras têm enfrentado cotidianamente as ameaças à sua autonomia, à liberdade de cátedra, ao ensino público, laico, gratuito e socialmente referenciado. As declarações do sr. Weintraub se inscrevem nesse projeto de tentativa de aniquilamento de sólidas e respeitáveis instituições nacionais.

A comunidade acadêmica presente no encerramento dos trabalhos desta última edição do ‘Abralin em Cena’, centrado providencialmente na análise do fenômeno social intitulado ‘fake news’, vem a público manifestar seu repúdio às novas declarações do atual ministro da Educação e sua expectativa de que providências jurídicas sejam tomadas para apurar eventual cometimento de crime de responsabilidade, improbidade, difamação ou prevaricação.

Vem a público, também, juntar-se aos que defendem a continuidade do papel fundamental da Universidade Pública – demonstrado por indicadores e rankings nacionais ou internacionais, públicos ou privados – na vida do País a partir de suas mais diferentes funções e responsabilidades, como  o ensino gratuito, o atendimento via sistema público de saúde, a pesquisa de interesse social, a soberania nacional, o aprofundamento da democracia e o respeito à diversidade.”