Ensino Remoto: lutar contra as portarias de Bolsonaro é defender direitos. E defender direitos é o dever do ANDES-SN.

As Portarias n˚433 e˚434, do Ministério da Educação merecem atenção máxima dos(as) docentes.

Sabemos que a Educação a Distância (EaD) é o modelo do setor privado para aumentar o lucro, garantindo as matrículas – em um contexto de redução do PROUNI e FIES, de crise econômica e de pandemia – e reduzindo custos com corpo docente.

A EaD é também o modelo escolhido, desde Temer, para manter e, se possível, expandir o sistema de ensino superior público, reduzindo custos no contexto do Teto de Gastos. O decreto n˚ 9.057/2017, que flexibilizou a oferta de EaD no ensino superior público e privado, é um marco disso.

Nesse contexto, olhamos para o enfrentamento do debate sobre ensino remoto emergencial. O corte no orçamento para Educação Superior em 2021 demonstra que o governo aprofunda a opção pelo EAD em detrimento do ensino presencial. Bolsonaro, aproveitando-se da situação de caos sanitário, busca impor a generalização dos sistemas de ensino a distância.

Onde está o levantamento nacional dos impactos do ensino remoto sobre o corpo docente e discente? Qual a proposta do Sindicato para dialogar com os docentes que trabalham nessa modalidade? Só o ANDES-SN pode fazer isso, mas não o fará caso se negue a enfrentar o debate.

A defesa do ensino presencial será dura e precisamos de um Sindicato forte, capaz de enfrentar esse desafio. Devemos lutar com vigor e argumentos qualificados, envolvendo todos (as) docentes, sem arrogância, sem tabu e sem preconceitos, mostrando para eles(as) e para a sociedade os riscos desse projeto.

Fazer oposição aos efeitos do ensino remoto e intervir na situação apresentada sem defender professoras(es) que já estão nessa situação é inócuo, demagógico e contraproducente!

Vote Renova ANDES – Chapa 2! Por um Sindicato de todas e de todos os docentes.

renovaandes.org
facebook.com/RenovaAndes/
instagram.com/renovaandes/

 


 

Carta da Chapa 2

Renova ANDES! Por um Sindicato Nacional de todas e todos docentes!

De 3 a 6 de novembro, teremos as eleições para o nosso Sindicato Nacional. A priori, constatamos que o ANDES-SN é, hoje, uma realidade distante para muitos e muitas colegas docentes que estão vivendo cotidianamente a ameaça da reforma administrativa, os percalços do ensino remoto sem as condições devidas, o ataque à autonomia e à democracia universitárias, a precarização das condições de trabalho, a crise de financiamento da educação e da pesquisa, as ameaças à estrutura da carreira e à liberdade de cátedra.

A CHAPA 2 – RENOVA ANDES-SN propõe, por meio da renovação de nosso Sindicato Nacional, o enfrentamento deste grave momento, com seus efeitos sobre a categoria docente e a defesa dos serviços públicos, para manter e ampliar as Universidades, os CAPs, os CEFETS e os IFs. É preciso ter um ANDES-SN mais próximo da base e mais aberto para atuar junto com as associações científicas, os movimentos sociais, o movimento estudantil, os técnicos-administrativos e os demais trabalhadores terceirizados da Educação.

Assim, vamos tornar nosso ANDES-SN novamente importante para a categoria. Nossa prioridade será lutar contra as políticas destrutivas e defender um Sindicato Nacional, independente e autônomo, que dialogue com professores (as) e que saia da defensiva, estando mais próximo de cada luta, contribuindo com as Associações de docentes, unificando as demandas e juntando forças.

São várias batalhas a serem vencidas. Para citar algumas, a defesa da nossa política salarial; dos direitos como o adicional noturno e de insalubridade; do financiamento à Ciência, Tecnologia e Inovação, em particular a questão das bolsas de pesquisa; da autorização e abertura de concursos para docentes e a política de progressão. Emergencialmente, vamos atuar para vencer a Reforma Administrativa, sendo resistência contra os ataques à autonomia das IES, IFs e CEFETs, enfrentando a precarização de nosso trabalho.

Os próximos anos serão de intensificação da luta, dos confrontos com um governo que implementa a política ultra neoliberal e ataca os serviços públicos, destruindo a Educação. Defenderemos as reivindicações dos (as) docentes com todos os instrumentos disponíveis à luta sindical.

Acesse nosso site renovaandes.org e as nossas redes sociais: @renovaandes