Manifestação da diretoria a respeito da aprovação de pagamento de mensalidades de cursos de especialização lato sensu pela CEPE de 1º de outubro de 2019

Em parceria com a APG, a ADunicamp promoveu recentemente um debate sobre a proposta (confira aqui). Houve entendimento comum, nessa reunião, da qual participaram docentes (inclusive, pró-reitores, diretores e ex-coordenadores de Pós-graduação e de Extensão), funcionários e estudantes, de que era necessário haver mais debate sobre o tema, sobretudo em um momento em que a Universidade Pública tem sido instada pelo Governo Federal e vários governos estaduais a captar recursos externos  para financiamento das atividades universitárias.

Considerando os impactos em eventuais mudanças no regulamento dos cursos de pós-graduação da Unicamp (confira aqui), esperávamos que a Reitoria da Universidade, e instâncias como a PREAC e a PRPG, estabelecessem um cronograma de debates do qual toda a comunidade interna e externa à Universidade fosse chamada a participar.

Neste sentido, reclamamos à Reitoria que a deliberação a ser apreciada pelo CONSU não vá à pauta das reuniões do Conselho Universitário sem antes haver uma reflexão madura sobre o caráter dos cursos de pós-graduação lato sensu na Unicamp.

Na defesa do caráter público e gratuito da Universidade, inclusive da pós-graduação lato e stricto sensu, a Diretoria da ADunicamp enfatiza a importância de uma discussão aprofundada da comunidade universitária sobre a cobrança dos cursos de especialização lato sensu.