Defesa da ciência e da educação, pela revogação da EC 95, isolamento social contra a Covid-19

Vencer a pandemia causada pelo coronavírus tornou-se o maior desafio em 2020. Nesta luta, que é de toda a humanidade, a ciência é a grande esperança de todos.

Tendo essa certeza como farol, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) está organizando uma jornada de atividades em 7 de maio para defender a ciência e a educação públicas. Trata-se da Marcha Virtual pela Ciência, que ocorre todos os anos e, por conta do isolamento social necessário ao combate à Covid-19, este ano será integralmente online.

Sob o comando da SBPC, entidades, instituições e associações científicas e acadêmicas de todo o país convidam a população em geral a participar das atividades que serão realizadas nas redes sociais (lives, painéis, palestras, entrevistas, documentários, tuitaços etc.).

O Fórum das Seis apoia a realização da Marcha e convida professores, funcionários e estudantes das universidades estaduais paulistas e do Centro Paula Souza a participarem das atividades.

Reivindicações centrais

No momento em que o obscurantismo tenta tomar o lugar da ciência e da educação, o que é especialmente dramático em tempos de pandemia e de risco à vida de milhões de pessoas, a Marcha Virtual pela Ciência tem como uma de suas bandeiras centrais a imediata revogação da Emenda Constitucional (EC) 95, aprovada em 2016, que limitou drasticamente o volume de investimentos nos serviços públicos do país.

A Marcha está estruturada sobre 4 eixos centrais:

#FiqueEmCasaComCiência: a importância do isolamento social, recomendado pela OMS, sociedades científicas e da área da saúde, cientistas, médicos e especialistas;

#CiênciaéInvestimentoEssencial: a crise da ciência no Brasil e a redução drástica dos recursos para CT&I, em particular recursos que ajudem no enfrentamento da grave crise sanitária e econômica;

#EducaçãoeDemocracia: o desmonte dos sistemas de educação, em particular pela ação da Emenda Constitucional 95, e as ameaças antidemocráticas à liberdade de ensino e pesquisa;

#PactoPelaVida: a necessidade de enfrentar a crise econômica com medidas emergenciais e de longo prazo, que apoiem, em particular, as camadas mais pobres e vulneráveis da população e reduzam a desigualdade social e econômica do país.

Como participar

Haverá dois painéis digitais promovidos pela SBPC:

  • Das 10h30 às 12h: “O enfrentamento da pandemia de Covid-19 no Brasil”.
  • Das 15h às 16h30: “CT&I no Brasil: sucesso e desafios”.

Estão sendo convocados dois tuitaços, das 12h às 12h30 e das 18h às 18h30, com as seguintes hashtags: #paCTopelavida e #fiquememcasacomaciencia

Acompanhe nos canais oficiais da SBPC

SBPC no Youtube: https://www.youtube.com/channel/ UCH3fR8lXd-XxjBCC1ChsBSw



Nota do Fórum das Seis em apoio ao ato no Hospital Universitário da USP em 6/5/2020

DEFESA DA VIDA E DOS TRABALHADORES DO HU

As entidades sindicais e estudantis que compõem o Fórum das Seis, reunidas em 5 de maio de 2020, debateram a situação dos profissionais que atuam no Hospital Universitário (HU) da USP que, assim como os trabalhadores da saúde em todo o país, vêm se dedicando ao extremo no combate à pandemia de Covid-19. Pelas características de seu trabalho, estes profissionais são os mais expostos ao contágio e, ainda assim, não raro atuam sob precárias condições de trabalho.

O HU tem sido peça importante no atendimento à população paulistana durante a pandemia, mas problemas estruturais causados pela política de corte de recursos, imposto pelo governo do estado nos últimos anos, agora emergem de forma dramática. A falta de profissionais para que o hospital possa atuar na totalidade de sua capacidade é o maior dos exemplos deste paradoxo. Com isso, uma reivindicação essencial, de liberação dos funcionários pertencentes aos grupos de risco (mais de 60 anos e com comorbidades), das gestantes e das lactantes, não vem sendo atendida.

Diante deste quadro e ciente da enorme importância do HU e de seus profissionais no trabalho de salvar vidas durante a pandemia, o Fórum das Seis insta a reitoria da USP, a superintendência do HU e o governo do estado a atenderem as reivindicações da categoria:

  • Liberação de todos os trabalhadores pertencentes aos grupos de risco;
  • Garantia plena de EPIs e testes para todos;
  • Contratações emergenciais para suprir as necessidades de reposição e complementação dos quadros do HU;
  • Agendamento de reuniões sistemáticas entre reitoria, administração do HU e entidades representativas da categoria;
  • Garantia pelo governo do estado dos recursos necessários ao pleno funcionamento do HU e à garantia da vida e de condições dignas de trabalho de seus profissionais.

Neste momento de agravamento da pandemia, é fundamental garantir as condições adequadas para aqueles que salvam vidas!

FÓRUM DAS SEIS ENTIDADES (Sintusp, Adusp, Sintunesp, Adunesp, STU, Adunicamp, Sinteps e entidades estudantis)

Acesse aqui o Boletim em PDF