Estudo elaborado pelo Fórum das Seis e divulgado nesta quinta-feira, 12, mostra que o Plano Plurianual (PPA) do governo do Estado de São Paulo para o período 2020-2023 vai provocar um rombo sem precedentes no Orçamento das universidades públicas paulistas.

Além de reduzir significativamente o repasse de recursos financeiros para as universidades, o Plano prevê um acréscimo de 83.370 estudantes de graduação e pós-graduação no período.

“Isso posto, face à expansão pretendida, pergunta-se: os recursos previstos permitiriam manter uma suposta boa qualidade das atividades realizadas por essas instituições? Mais uma vez, a resposta será negativa”, avalia o documento do Fórum das Seis.

O documento mostra que o Plano Plurianual prevê recursos de cerca de R$ 9,2 bilhões/ano para o ensino superior paulista nos próximos quatro anos. “Ocorre que, segundo a planilha do Cruesp do fechamento de 2018, os repasses do Tesouro do Estado para a Unesp, Unicamp e USP foram de R$ 9,684 bilhões”, diz o documento, que conclui: “Significaria R$ 1,6 bilhão a menos em 4 anos”. E com um agravante: os recursos passarão a contemplar não só as três universidades, mas também a Famema, Famerp e Univesp, que passam a integrar o conjunto dos institutos do Ensino Superior paulista.

De acordo com o Fórum, o Plano apresentado pelo governo inviabilizará a manutenção da qualidade de ensino, pesquisa e extensão na Unesp, Unicamp e USP.

MAIS QUESTIONAMENTOS

O documento do Fórum questiona diversos outros pontos do Plano Plurianual, com base nos números apresentados pelo governo.

A análise do Fórum mostra que, em muitos casos, os números são imprecisos, provocando dúvidas sobre as verdadeiras metas propostas no Plano.

O documento detalha desde as propostas para a visitação de museus, exposições e mostras do acervo das universidades, até os projetos e números apresentados para graduação, pós-graduação e extensão universitária, entre outras ações.

Leia o documento do Fórum das Seis aqui