Caros e caras colegas docentes da Unicamp.

Os últimos meses têm sido de intensos debates a respeito da proposta de reforma da Previdência apresentada pelo Governo Federal.

A ADunicamp promoveu e apoiou debates em diversas unidades da Universidade e fora dela – em câmaras municipais da região, escolas, organizações da sociedade civil e sindicatos – por meio de sua diretoria e associados/as.

Parece-nos muito claro que a proposta encaminhada pelo governo ao Congresso sofrerá reparos. Isto é o que indica o documento que será apresentado hoje pelo relator da reforma deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) à comissão especial, na Câmara dos Deputados.

Segundo os jornais de hoje, devem sair da proposta as alterações no Benefício de Prestação Continuada (BPC), as mudanças na aposentadoria rural, o uso do artifício da desconstitucionalização para promover reformas ainda mais duras no futuro com mais facilidade, a nefasta capitalização e a extensão dos efeitos da reforma aos governos municipais e estaduais. Além disso, devem ser encaminhadas alterações quanto à idade mínima de aposentadoria para as mulheres, abono salarial, pensão por morte e regras de transição propostas.

Estas alterações já devem ser consideradas vitórias parciais do movimento contrário à reforma da Previdência, que tomou corpo no país desde que ela foi apresentada.

Porém, é preciso dizer que apenas se inicia este processo de discussão nacional sobre a Previdência que queremos para o Brasil das próximas gerações. A Previdência não é um “gasto” qualquer dos governos, passível de ser tratado de forma meramente contábil. Ela é parte de nosso pacto social, aquilo que faz de nós uma nação e que nos possibilita conviver com um pouco mais de solidariedade entre nós e entre as gerações.

Por isso, conforme decisão de Assembleia realizada em 22 de maio, convocamos novamente a todas/os as/os docentes da Universidade a paralisarem suas atividades no dia de amanhã, 14 de Junho, e aderirem às manifestações da Greve Geral em Campinas, Limeira e Piracicaba, ou sem suas cidades de residência.

O 14 de Junho também incorpora a luta pela defesa da Educação pública e contra os cortes orçamentários na ciência, tecnologia e educação em todos os níveis.

Nos próximos meses, permaneceremos atentos àquilo que está sendo discutido no Congresso Nacional e continuaremos contribuindo pelo esclarecimento a respeito da reforma da Previdência e suas consequências.

Abraços,

Prof. Wagner Romão
Presidente da ADunicamp

 

PROGRAMAÇÃO

#GreveGeral14deJunho – Chegou mais um dia de luta por nossos direitos, pelo nosso futuro.
Agenda Greve Geral – 14/06
Início da manhã – Barão Geraldo, Campinas-SP

Concentração:
– 06h | balão do Dalben – Barão Geraldo
– Panfletagem e atividades culturais
– Articulação de grupos e coletivos, associação de moradores, funcionários e alunos da Unicamp e toda comunidade de barão.

– 10h | concentração no largo do rosário – com intervenções artísticas e culturais, produção de cartazes e microfone aberto

– 17h | grande ato da greve geral – manifestação com passeata

Convide os amigos e vamos nos encontrar.