Os 12.700 servidores técnico-administrativos e docentes estatutários da Unesp – entre ativos e aposentados – ainda não receberam o 13º salário do ano passado.

No último comunicado emitido, em 9/1/2019, a Reitoria da Unesp informa que não teve sucesso em seu pedido de suplementação de verbas, feito ao ex-governador Márcio França, que enviou ofício com nova solicitação ao governador eleito, e que está convocando uma reunião extraordinária do Conselho Universitário (CO) para 22/1, “com o propósito de discutir e de revisar o orçamento de 2019, à luz da necessidade do pagamento do 13º salário referente ao ano de 2018 para os servidores autárquicos”.

Ocorre que, conforme admite a própria Reitoria, a Universidade tem reservas para arcar com o pagamento do 13º salário dos estatutários, mas ainda não o fez, porque “seu uso deixaria o caixa descoberto em 2019”.

Postergar a quitação desse direito dos servidores é reiterar uma clara opção política da atual administração da Unesp: bancar a instituição com recursos obtidos por meio do arrocho salarial, do confisco de direitos e do congelamento das carreiras e das contratações.

Ao mesmo tempo em que cobramos do governo estadual que garanta os recursos necessários à manutenção das universidades estaduais paulistas – que estão entre as melhores do país em ensino, pesquisa e extensão –, cobramos das reitorias que também o façam.

13º é um direito! Unesp, cumpra a lei e pague seus servidores estatutários!

Acesse o abaixo-assinado on-line