assembleia_aposentadosReunidos em assembleia na quinta-feira, 23, os professores da Unicamp decidiram reafirmar a proposta de reenquadramento apresentada à reitoria (reenquadramento dos aposentados em MS3 para MS3.2 e os aposentados em MS5 para MS5.2) e rejeitar a minuta da proposta encaminhada pela Reitoria da universidade para o reenquadramento dos aposentados na nova carreira docente. A assembleia ocorreu no auditório da ADunicamp e a proposta, decidida em assembleia anterior, foi reafirmada pela quase totalidade dos professores presentes, com nenhum voto contrário e apenas quatro abstenções.
Os professores argumentaram que o reenquadramento dos professores aposentados deve ser automático e não submetido a avaliações caso a caso, como propõe a minuta da Reitoria.
De acordo com os professores, não há como utilizar os critérios estabelecidos hoje para avaliar docentes aposentados há alguns anos – em inúmeros casos há bem mais de uma década –, quando o perfil da carreira acadêmica era substancialmente diferente.
Os professores citaram, como exemplo, a questão das publicações em revistas científicas. Hoje, esse é um dos principais critérios de avaliação para estabelecer o mérito acadêmico e a consequente promoção na carreira. Mas, em passado recente, até pelo reduzidíssimo número de publicações científicas então disponíveis, esse critério era utilizado de forma muito diferente para pontuar a avaliação.
A nova carreira
O reenquadramento é uma reivindicação dos docentes aposentados, desde que foi implantada na Unicamp a nova carreira do Magistério Superior (MS).
A reestruturação, que seguiu diretrizes determinadas pelo Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp),
incluiu três níveis intermediários para a ascensão na carreira, um deles entre o Professor Doutor (MS-3) e o Professor Associado (MS-5) e dois entre o MS-5 e o Professor Titular (MS-6).
CONAD do Andes-SN
A assembleia da quinta-feira também escolheu a professora Maria Cecília Cardoso Benatti como delegada da ADunicamp no 7° CONAD Extraordinário do Andes, que acontece nos dias 2 e 3 de maio em Brasília e o professor José Vitório Zago como observador/suplente.