Eixos centrais da data-base 2019 sinalizam a luta deste ano!

Data-base é o mês em que as entidades sindicais representativas dos trabalhadores e as entidades patronais reúnem-se para debater, principalmente, as reivindicações salariais da categoria. No caso das universidades estaduais paulistas, mês da data-base é maio e o interlocutor dos sindicatos (o Fórum das Seis) é o Conselho de Reitores, o Cruesp. Além do reajuste salarial, o Fórum das Seis tem proposto, ao longo dos anos, também discutir outras questões importantes que dizem respeito às condições de trabalho e estudo e à crise de financiamento das universidades públicas paulistas. O Cruesp tem se recusado sistematicamente a conversar sobre esses assuntos em outros momentos, por isso, sempre que se apresenta uma oportunidade, como é o caso da data-base, recolocam-se os itens da nossa Pauta Unificada.

Em 2019, a data-base vai acontecer em meio a uma conjuntura que exige dos trabalhadores e estudantes reação firme e organizada. Neste quadro, será preciso travar as nossas lutas específicas – contra o desmonte das universidades, contra o arrocho salarial e em defesa da isonomia, por melhores condições de trabalho e estudo – em sintonia com a resistência às reformas em curso, como a previdenciária e o aprofundamento da trabalhista.

O recém-empossado governo Bolsonaro já disse a que veio e, em ritmo acelerado, quer aprovar as reformas que seu antecessor não deu conta de fazer, há tempos pleiteadas pelos empresários, banqueiros e cia. O governador Doria, por sua vez, não esconde a concepção privatista que defende para as universidades públicas, ignorando a forte crise de financiamento que se abate sobre elas e, inclusive, acenando com a cobrança de mensalidades.

De sua parte, os reitores insistem na política de descarregar o ônus da crise de financiamento sobre a comunidade universitária, aprofundando o arrocho salarial, impondo o congelamento das contratações e dos planos de carreira, planos de demissão voluntária (como na USP), ameaças de fechamento de vagas públicas (como na Unesp), entre outras medidas que apontam para o desmonte nas universidades.

Jornal do Fórum traz um conjunto de informações para subsidiar a primeira rodada de assembleias no calendário de mobilização pela data-base 2019. Leia com atenção e participe! É hora de mobilização: defesa dos salários, da educação pública e dos nossos direitos sociais!

LEIA AQUI