O NETES e o Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública realizam, no próximo dia 18, o evento Ciência e Tecnologia Pública: em risco de extinção. A importância de uma Ciência e Tecnologia Pública, seus efeitos e benefícios, tanto no que se refere a aspectos sociais como econômicos. O compartilhamento e a produção colaborativa de conhecimento são aspectos fundamentais para o desenvolvimento local e empoderamento de comunidades e da sociedade de uma forma em geral. A cultura digital é facilitadora e propulsora de práticas participativas. No entanto, ao mesmo tempo, nos defrontamos com o fortalecimento de mecanismos que visam a apropriação privada do conhecimento, como o sistema de patentes, por exemplo, e a recente aprovação do Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação que coloca, entre outros, institutos públicos de pesquisa e universidades públicas a serviço dos interesses de empresas privadas.
Convidados
Henrique Z.M. Parra – Professor do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Atualmente se dedica a investigar as dinâmicas de produção colaborativa de conhecimentos (ciência cidadã, ciência aberta) e as novas configurações da política no contexto de crescente mediação das tecnologias digitais de comunicação. Na UNIFESP coordena o Pimentalab – Laboratório de Tecnologia, Política e Conhecimento – onde desenvolve ações de pesquisa e extensão.
Celso Alexandre S. de Alvear – Analista de Tecnologia da Informação da UFRJ, Pesquisador-Extensionista do Núcleo de Solidariedade Técnica (Soltec/UFRJ) e Coordenador de Extensão do Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social (NIDES/CT/UFRJ). Desde 2014 é professor colaborador do DEL/POLI/UFRJ, sendo responsável pela disciplina Software Livre e Metodologias Participativas e a partir de 2016 se tornou professor permanente do mestrado em Tecnologia para o Desenvolvimento Social do NIDES/CT.
Rogério Bezerra da Silva – Bacharel em Geografia pela UNICAMP (2005). Mestre e Doutor em Política Científica e Tecnológica pela UNICAMP. Suas pesquisas, desenvolvidas no âmbito do mestrado e do doutorado, junto ao GAPI (Grupo de Análise de Políticas de Inovação) do DPCT da UNICAMP, foram realizadas desde os referenciais da Análise de Políticas Públicas e dos Estudos sobre Ciência, Tecnologia e Sociedade e colocaram em perspectiva a relação ente a comunidade de pesquisa brasileira e a sociedade. Atualmente é Assessor Legislativo na Câmara Municipal de Campinas e participa do Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública.
Luciana Ferreira da Silva – Possui Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP. Mestrado em Política Científica e Tecnológica pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Doutorado em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo – USP. Membro fundador do TEIA/ USP – Laboratório de Educação e Ambiente. Docente Adjunto III (UNIFESP/SJC) no curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia (BCT). Coordenadora do Programa de Extensão NETES (Núcleo Educacional de Tecnologia Social e Economia Solidária) no ICT-UNIFESP/SJC.
SERVIÇO
Evento
Debate – Ciência e Tecnologia Pública: em risco de extinção
Data – 18/04 (3ª feira)
Horário – 14h
Local – UNIFESP / Auditório do Instituto de Ciência e Tecnologia
Endereço: Av. Cesare Monsueto Giulio Lattes, 1211 – São José dos Campos