Nota pública – Dom Paulo Evaristo
O Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, por meio desta Nota pública, solidariza-se com as extensas manifestações de reconhecimento e respeito à trajetória de Dom Paulo Evaristo Arns (1921-2016), recentemente falecido. Formuladas por amplos e expressivos setores democráticos da sociedade brasileira, estas manifestações, com justeza, destacaram a atuação e a figura de D. Paulo Evaristo Arns que – diante das graves ameaças políticas e sociais – se posicionou abertamente em defesa dos direitos humanos e dos valores democráticos gravemente afetados pela ditadura civil-militar (1964-1985).
De forma firme e destemida, apoiou os movimentos sociais e políticos que lutaram pela redemocratização do país e teve presença decisiva na denúncia de crimes e abusos praticados no Brasil – perseguições, desaparecimentos, torturas, mortes. Seu compromisso com os direitos humanos e sociais também orientou ações fundamentais, como a Comissão Justiça e Paz de São Paulo (1972), o Movimento Contra o Custo de Vida (1978) e o Projeto Brasil: Nunca Mais (1979-1984). O IFCH se orgulha de ter sido privilegiado com a doação da extensa documentação desse Projeto – sediada no Arquivo Edgard Leuenroth – que originou a reveladora publicação de testemunhos da forte repressão política no país durante a ditadura. O título de Doutor Honoris Causa conferido pela Unicamp em 2000 –  ao lado de numerosos reconhecimentos dos setores democráticos recebidos por Dom Paulo Evaristo Arns – atesta não apenas a importância de suas ações mas, sobretudo, o papel crucial que assumiu e incentivou ao longo de sua profícua trajetória política e social.
Campinas, dezembro de 2016