A Diretoria da ADunicamp vem a público manifestar seu repúdio à ação policial de 04 de novembro de 2016 na Escola Nacional Florestan Fernandes – ENFF, na cidade de Guararema-SP. Causa repulsa a violência com que se deu essa ação da Polícia Civil de Mogi das Cruzes, durante a qual ocorreu a invasão da Escola sem mandado judicial, agressão a idoso, depredação de patrimônio, disparos de arma de fogo e intimidação de cidadãos que se opunham à presença arbitrária e truculenta de policiais no local. O fato de que naquele momento estivessem na Escola cerca de 200 pessoas somente agrava o quadro de brutalidade com que se desenrolou o episódio.
Referência nacional na formação de trabalhadores do campo, a Escola tem sido, desde sua criação, um espaço para a inclusão social e o debate acerca da questão agrária brasileira. Os vários cursos ali ministrados bem como uma infraestrutura que conta com uma biblioteca de 40 mil exemplares dão mostras de que ali se trata de um local de promoção da cidadania, de qualificação de trabalhadores e que não pode ser visto pelo poder público, seja ele de qualquer esfera ou corporação, como fazendo jus a 10 viaturas com homens fortemente armados a romper não apenas vidraças, mas, sobretudo, o limite entre o razoável e a inadmissível, entre a repressão ao crime e a repressão criminosa, em suma, entre o Estado Constitucional de Direito e a barbárie.
A Diretoria da ADunicamp vem assim não apenas se solidarizar com todos os cidadãos que foram vítimas dessa operação policial na Escola Nacional Florestan Fernandes, como também reforçar sua posição histórica em defesa da democracia, da liberdade e da dignidade nas relações humanas, acima de tudo em ambiente educacional.
Diretoria da ADunicamp
08 de novembro de 2016