[box type=”info”]Divulgado por solicitação do Prof. José Vitorio Zago (IMECC), na condição de sindicalizado. O conteúdo do texto não reflete necessariamente a posição oficial da ADunicamp, nem de qualquer outra instância da entidade (Assembleia Geral, Conselho de Representantes e Diretoria). Toda e qualquer responsabilidade por afirmações e juízos emitidos cabe unicamente aos autores do texto.[/box]

A Coordenação Nacional da CSP-Conlutas reunida em 25 a 27 de maio de 2018 manifesta seu apoio aos trabalhadores, trabalhadoras e estudantes das Universidades Estaduais Paulistas  em greve.

As Universidades Estaduais Paulistas concentram uma parte significativa da educação pública superior no Brasil e juntas empregam diretamente dezenas de milhares de trabalhadores entre funcionários e docentes que estão tendo seus salários arrochados pela crise econômica e falta de reposição salarial.

A crise das Universidades e as políticas das Reitorias de precarização aumentam o afastamento da classe trabalhadora da Universidade pública, gratuita e de qualidade, bem como prejudica o atendimento à saúde da população que os Hospitais Universitários desempenham.

Enquanto sucateiam as Universidades e os Serviços Públicos os governos garantem quase metade do orçamento público para pagamento de juros aos banqueiros e os políticos se afundam na corrupção e negociatas com os grandes empresários.

Ao invés de lutar por mais recursos publicos as Reitorias querem  jogar para os Conselhos Universitários  a definição do reajuste salarial em uma clara tentativa de fragmentação dos movimentos sindical e estudantil. Os Conselhos Universitários devem retirar da pauta essa discussão. A reivindicação conjunta de pautar o reajuste salarial no ambito da negociação entre o Forum das Seis e o CRUESP é uma conquista histórica das categorias na USP, Unicamp e Unesp e deve ser respeitada.

Não ao arrocho!
1,5% não dá.  Por 12,6% de reajuste para repor as perdas salariais!
Pela negociação entre Fórum das Seis e CRUESP !
Concurso público já! Contra a terceirização!
Em defesa do financiamento público para uma Universidade Pública para a classe trabalhadora!