A Diretoria da Associação de docentes da Universidade Estadual de Campinas (ADunicamp) irmana-se com os docentes, servidores técnico-administrativos e estudantes do Museu Nacional – o quinto maior acervo do Mundo – no repúdio à negligência e ao descompromisso com as universidades públicas e com o patrimônio científico e cultural brasileiro.
Devastado na noite do dia 02 de setembro pelas chamas que consumiram vestígios materiais do nosso passado, sentidos do nosso presente e assomos do nosso futuro, o grandioso Museu Nacional é mais uma vítima da irresponsabilidade de autoridades governamentais e dos efeitos predatórios dos cortes orçamentários da Emenda Constitucional 95/2016, que congela recursos destinados à Saúde, à Ciência e à Educação.
Tragédia anunciada, de acordo com muitos que já vinham divulgando as condições de precariedade do Museu, o incêndio soma-se às perdas irreparáveis sofridas pela Ciência e Educação brasileiras com as medidas que cerceiam a pesquisa e a soberania nacionais.
“Todos que por aqui passem protejam esta laje, pois ela guarda um documento que revela a cultura de uma geração e um marco na história de um povo que soube construir o seu próprio futuro”. Eis o texto que se lia na entrada do Museu Nacional.
Que o repúdio à destruição das instituições públicas e a solidariedade da sociedade brasileira ao Museu Nacional possam pavimentar um futuro de inabalável defesa e preservação do nosso patrimônio.
A Diretoria da ADunicamp