O eletricitário Gervásio Gregório dos Santos participou da paralisação das atividades de trabalho no dia 14 de junho, junto a milhões de trabalhadores/as brasileiros/as, na Greve Geral contra a reforma da Previdência.

A CPFL – empresa onde Gervásio trabalha há mais de 24 anos – o demitiu na manhã de hoje, dia 18 de junho.

A crueldade da CPFL é de duas ordens: em primeiro lugar, por atuar contra o direito de manifestação e tentar amedrontar o conjunto dos trabalhadores da empresa, que lutavam pela preservação de seus direitos previdenciários.

Em segundo lugar porque, ao completar 25 anos de empresa, Gervásio poderia entrar com pedido de aposentadoria, por serem os eletricitários enquadrados, pelo regime previdenciário atual, na categoria de alta periculosidade. Este é um direito dos trabalhadores que atuam em situação de perigo de vida, algo que a reforma proposta pelo governo quer extinguir.

Todos os trabalhadores da empresa estão indignados pois têm certeza que Gervásio foi demitido por ter participado da paralisação do dia 14 de junho.

Não vamos tolerar a demissão de Gervásio e exigimos que a CPFL o reintegre ao quadro de funcionários da empresa!

Associação de Docentes da Unicamp – ADunicamp